Tel:253 278 281 Tlm:96 53 56 636 Fax:253 213 958 Email:info@jovemcoop.com

Sete Fontes - Monumento Nacional desde 2003

Vários Artigos e Actividades


Sete Fontes: Termos de Referência do Plano de Pormenor

Participação da JovemCoop











clicar nas imagens para ler documento ampliado





Uma vez que terminou no passado dia 18/12, o período de Discussão Pública sobre os Termos de Referência do Plano de Pormenor para as Sete Fontes (Monumento Nacional), vimos, por este meio, dar conhecimento público da missiva que enviamos ao cuidado do Sr. Presidente da Autarquia bracarense, com conhecimento da Secretaria de Estado da Cultura e Direcção Regional de Cultura Norte/SBC pois acreditamos que à luz da lei 107/2001 e 309/2009, estas entidades têm de ter um papel mais activo na elaboração desta pretensão.



A participação pública nos assuntos da cidade é algo que deve orgulhar os cidadãos, pois demonstra que estão dispostos a auxiliar os executivos das autarquias a encontrar as melhores soluções para a sua cidade, havendo, claro, a determinação por parte das autarquias de envolver os cidadãos nessas opções. Partindo deste pressuposto, louvamos a iniciativa de, finalmente, se efectuar uma medida que possa regular a zona do Monumento Nacional das Sete Fontes e que estejam abertas as portas para a formulação de ideias e do diálogo.


No âmbito dos Termos de Referência do Plano de Pormenor das Sete Fontes, a JovemCoop colocou à consideração do Sr. Presidente da CMB um conjunto de sugestões e informações que nos parecem ser relevantes e pertinentes para a conservação daquele sistema hidráulico, elevado à categoria de Monumento Nacional, pois pretendemos que se realize um Plano de Pormenor de Salvaguarda que tenha em conta o passado, o presente e, sobretudo, o futuro das Sete Fontes.



-------------------------------------------------------------------------------------

Publicação da ZEP do Monumento Nacional das Sete Fontes

Uma pequena vitória







Esta é a publicação que os amigos e defensores das Sete Fontes há tanto tempo (re)clamavam. Finalmente as preces foram confirmadas em Diário da República, II Série, que reveste a portaria 576/2011 como a SALVAGUARDA deste monumento.




----------------------------------------------------------------------------------

Visita Sete Fontes - Grupo de Formação de Professores

13 Novembro 2010


















--------------------------------------------------------------------------------

Momento Inspirador








---------------------------------------------------------------------------

De Parque Verde a Praia Artificial das Sete Fontes


imagem: derrocadas_de_estruturas_e_lavagem_de_registo_arqueologico.jpg As Sete Fontes são um dos monumentos mais completos que Braga possui.
Após as várias visitas que lá temos feito, seja ao interior das galerias, seja
somente pelo exterior, ninguém fica indiferente e as pessoas que têm conhecido
ou revisitado o monumento connosco conseguem perspectivar, naquela área, um
fantástico parque verde para a cidade. Aliás, não é de estranhar que, mesmo sem
as condições ideais (percursos marcados, papeleiras, bancos, sinalética interpretativa,
etc), seja já um sítio bastante procurado por várias pessoas.

Em deslocações àquele sítio é frequente ver pessoas que passeiam os seus animais,
casais de namorados que usufruem do sossego daquele local, grupos de jovens que
andam de bicicleta, adultos que fazem jogging, ou simplesmente pessoas que
procuram um sítio que meditar enquanto passeiam.

Considerando que nestes últimos anos o executivo da Câmara Municipal de Braga
tem prometido a execução do Parque Verde das Sete Fontes, a JovemCoop mostrou-se
agradada com esta proposta. Quando visualizamos o projecto de que aquela área
será esventrada por três vias de acesso, com áreas de construção de urbanizações
e sem projecto de arquitectura paisagística, tememos o pior. O Parque Verde das
Sete Fontes seria, em nosso entender, apenas o “ Corredor Verde das Sete Fontes”,
pois não haveria espaço para o local de fruição, na acepção que gostaríamos de
ver implantada.

Agora, em visitas recentes, assistimos a um novo fenómeno…As Sete Fontes já não
darão lugar a um Parque Verde, mas sim a uma Praia Artificial. Este fenómeno deve-se,
uma vez mais, ao mau planeamento, execução e fiscalização de obras.

imagem: deslizamento_de_terras_e_enterramento_de_estruturas.jpg É que os amontoados de terras e saibros que a direcção de obras do Novo Hospital
reuniu no topo superior do Complexo das Sete Fontes foram mal acondicionados e,
com as inevitáveis e imprevisíveis chuvas, estes “montes” artificiais começaram a abater,
a deslizar e a invadir a área do Complexo Monumental das Sete Fontes.

Os sedimentos são levados pelas águas e espalharam-se por várias centenas de
metros, descaracterizando o local, bem como dando origens a derrocadas das
estruturas e lavagem de solos, que põem a descoberto e destroem vários vestígios
de cronologias antigas.

É preocupante que o IGESPAR nada faça relativamente a esta situação, que tem
colocado em causa a integridade e manutenção do Complexo, pois agora temos
uma praia artificial, bem como águas descontroladas e buracos e valas onde
antes não existiam.

imagem: deslizamento_de_terras_e_enterramento_de_estruturas_4.jpg É grave que a direcção e a fiscalização de obra não percebam o mal que está a
acontecer e que travem estes fenómenos, pois até são obrigados a tal, tendo,
com certeza, que cumprir os regulamentos de actuação de obra.

É decepcionante que a Câmara Municipal de Braga não actue para proceder às
melhorias naquele local e que, de igual forma, com os seus recursos técnicos e
humanos não evite que estas situações aconteçam.

Demos conta destas situações à Direcção Regional de Cultura Norte
(dependência do IGESPAR), à Câmara Municipal de Braga e à Junta de
Freguesia de S. Victor. Esperamos que tenham em consideração esta situação e
este lamento e que possam executar medidas mitigadoras que preservem e
salvaguardem o Complexo Monumental das Sete Fontes. Mas continuamos a crer
que os melhores protectores das Sete Fontes são as pessoas que se manifestarem
em prol deste sítio, por isso, apelamos a todas as pessoas ajuda na protecção e
manutenção deste património singular.













Ler aqui o e-mail enviado à Direcção Regional Cultura Norte


Ler aqui e-mail enviado à Câmara Municipal de Braga

Envie-nos a sua opinião para :

info@jovemcoop.com



-------------------------------------------------------------------------------

Petição para a Salvaguarda do Complexo Monumental das Sete Fontes

imagem: cm_pag01.jpg imagem: cm_pag02.jpg

Carregue aqui para ler a notícia













Destinatário: Presidente da Assembleia da República Grupos Parlamentares Ministério da Cultura Ministério das Obras Públicas Presidente da Câmara Municipal de Braga Presidente da Assembleia Municipal E.P.Estradas de Portugal, SA

Texto da Petição


O Complexo das Sete Fontes é uma obra de engenharia hidráulica única, datada do século XVIII, com inestimável valor histórico, ambiental, cultural e arquitectónico, classificado desde 2003 como Monumento Nacional e actualmente em fase final de classificação como Zona Especial de Protecção (ZEP).

Durante séculos o complexo manteve-se funcional e preservado, abastecendo de água grande parte da cidade de Braga, mas, nos últimos anos, tem sido sujeito a constantes agressões à sua integridade, conforme tem sido denunciado por várias associações de protecção do património e ambiente, várias forças políticas, comunicação social e população Bracarense em geral.

À elevada pressão urbanística já existente, junta-se agora, a ameaça da edificação de um ou mais viadutos de acesso ao novo Hospital Central de Braga, atravessando o Complexo das Sete Fontes. A construção do viaduto contraria as medidas de protecção que advêm da classificação como Monumento Nacional e futura Zona Especial de Protecção.

Esta é, talvez, a última oportunidade que temos para AGIR. Num futuro próximo pode não restar nada para proteger.

Nós cidadãos, abaixo assinados, exigimos:

1.Preservação, restauro e manutenção deste património único, incluindo todas as seis (outrora sete) Mães-d’Água, minas, galerias e condutas.

2.Proibição de construção nas imediações do Complexo das Sete Fontes, incluindo o(s) viaduto(s) previstos e realização de estudos de acessos alternativos ao futuro Hospital. A execução destes acessos deve conter a obrigação de contornar o Complexo, não o invadindo e respeitando assim a ZEP.

3.Aumento da área da ZEP e do nível de protecção, incluindo zona non edificandi, salvaguardando os veios de água, a vital exposição solar e a manutenção do tapete vegetal.

4.Exposição pública e detalhada do estudo de impacto ambiental dos acessos, com os respectivos estudos hidrogeológico e arqueológico da área circundante.

5.Devolução da fonte mais alta ao seu conjunto arquitectónico, excluindo-a dos terrenos do novo Hospital Central de Braga.

6.O reaproveitamento, já prometido pelo actual executivo camarário da água, com respectiva recondução para fins públicos (fontes e fontanários) e privados (mediante pagamento).

7.A concretização de uma promessa, há muito anunciada pela C.M. de Braga, de criação do futuro “Centro Interpretativo da História da Água” no Complexo.

Os Peticionários


Em nome do Património, da Qualidade de Vida, do Ambiente, da Água ...assina, p.f., a Petição:


http://www.peticao.com.pt/sete-fontes


imagem: assinar_peticao_1.jpg imagem: assinar_peticao_2.jpg













Nós já começamos a assinar...!!!


-------------------------------------------------------------------------------


Discussão Pública - Edital de alteração da zona de servidão da Zona Especial de Protecção das SETE FONTES.


O que é uma ZEP?

É uma zona que se cria em torno de um monumento classificado, garantindo maior protecção, pois qualquer intervenção dentro dessa área de protecção tem de merecer o avalo do IGESPAR (Instituto que tutela o património).

No caso das Sete Fontes é 100% eficaz?

Na nossa óptica não, pois a ZEP pronunciar-se-á, sobretudo, sobre a protecção do património, podendo relegar para o esquecimento o enquadramento ambiental. Logo é preciso reforçar a protecção daquela área.

O que é que a JovemCoop propõe?

Nós propomos a criação de uma área Non Aedificandi, que não permita construções ou alterações dentro do coração verde das Sete Fontes.

Qual é a vantagem dessa medida?

Cremos que a vantagem desta zona Non Aedificandi é, além de proteger o património construído do Séc. XVIII, poder salvaguardar o património que jaz no solo, provavelmente da época romana. Mas, acima de tudo, estaremos a garantir o habitat das espécies de fauna e flora que encontram nas Sete Fontes o seu meio natural. Além do mais, é uma garantia de que a água das Sete Fontes continuará a correr nas canalizações.

Porquê uma zona Non Aedificandi tão grande?

Nós assumimos, juntamente com a Junta de Freguesia de S. Victor e a ASPA a defesa do Complexo das Sete Fontes, na sua vertente mais lata (património, natureza, água).
E os lençóis de água que abastecem as Sete Fontes são uma das nossas grandes preocupações, pois se se permitir construções nos maciços rochosos onde nasce a água, estar-se-á a condenar as Sete Fontes, que secarão e deixarão de cumprir a missão para a qual foram criadas. E porque água é vida, logo um património riquíssimo que temos, devemos ter orgulho nele e sabê-lo preservar.

Veja a nossa proposta:


imagem: proposta_zep_znae_7_fontes.jpg




















---------------------------------------------------------------------------------------------

imagem: sete_fontes_22_jan_2009__colocacao_de_taipais_001.jpg A Jovem Cooperante Natureza/Cultura tem agido, consoante os seus principios, na defesa do Complexo Eco-Monumental das Sete Fontes, em Braga.

Tal como sabem, as obras do Novo Hospital puseram a descoberto uma série de estruturas de cronologias bem recuadas que dificilmente irão conhecer melhor futuro, porque o Hospital é um bem de primeira necessidade.

Contudo, a zona que envolve este Hospital é zona protegida (ou em vias de) e não se percebe porque é que a Câmara Municipal de Braga insiste num projecto que claramente descaracteriza o monumento edificado, o património que lá jaz e que ameaça os sistema ecológicos que lá existem. Nem se entende ainda, porque é que ainda não foi publicado em Diário da República a confirmação das Sete Fontes como Monumento Nacional.

A maquete apresentada na Feira das Freguesias de Braga para a zona das Sete Fontes condena o Complexo Eco-Monumental das Sete Fontes.

Muito lhe ficariamos gratos se lessem o documento que DISPONIBILIZAMOS AQUI
para que a DRCN, o IGESPAR e a CMB se pronunciem cautelosamente sobre esta intenção de projecto.

Se quiser saber mais sobre este sítio, pode fazê-lo enviando um e-mail para :

info@jovemcoop.com


----------------------------------------------------------------------------------------------------
imagem: pelo_patrimonio...pela_saude!..._17_maio_2009_10h00_senh_a_branca_caminhada.jpg

Caminhada “Pelo Património e Pela Saúde!..”.


Dia 17 de Maio 2009 (Domingo),


O dia parecia não estar convidativo para caminhadas, mas acabou por se revelar uma boa surpresa. Tal como prometido, desde as 9h da manhã que estavam a ser realizados na Junta de Freguesia de S. Victor os rastreios à glicemia e ao colestrol, promovendo um verdadeiro cuidado com a SAÚDE! Como muitas pessoas fizeram os rastreios, planeávamos iniciar o percurso pelas 10h30, contudo, devido à chuva, fomos obrigados a atrasar o início.

Informações davam conta que o caminho que pretendíamos fazer pelo Bairro da Alegria estava completamente enlameado e constituiria um desconforto e um perigo se avançassemos por lá. Assim, decidiu-se caminhar por um só percurso, bastante agradável, pois permitiu percorrer uma boa parte da freguesia de S. Victor.

Por volta das 10h50 demos início à caminhada. O trajecto seleccionado foi:
Sede da Junta de Freguesia de S.Victor - Rua de S. Victor - Rua D. Pedro V - Rua Dr. Elísio Moura - Rua D. António Bento Martins Júnior - Rua Dr. Manuel Rodrigues Abreu - Rua de S.José - Rua Dr. Domingos Pereira - Rua Quinta de Passos - Rua Nuno Morais - SETE FONTES!

Foi uma caminhada bastante agradável, com um bom número de corajosos que não se amedrontou com a chuva e que proporcionou um salutar convívio nesta manhã de domingo.
Um Obrigado a todos os participantes!!! Para breve fica prometida uma visita ao interior das Mães de Água!


Organização: Junta de Freguesia de S. Victor

Apoio : ASPA, JOVEM COOP, QUERCUS e VELHA-A-BRANCA (Estaleiro Cultural)

Colaboração : Farmácia Henriquina ; Classaúde; Prhofame e Finalistas de Medicina do Hospital S. João.

Se quiser saber mais sobre esta caminhada, pode fazê-lo enviando um e-mail para :

info@jovemcoop.com


---------------------------------------------------------------------------------------------
imagem: dia_mundial_da_agua1.jpg

O Complexo Monumental das Sete Fontes

Reflexão JovemCoop - texto publicado no Diário do Minho de 28 de Março 2009


Pensar a cidade é pensar nos seus cidadãos. A JovemCoop, ao longo da sua existência, tem pautado por reforçar, junto dos seus membros, valores associados à cidadania, ao ambiente e ao enraizamento cultural. Por força das actividades internacionais, levamos para fora de Portugal alguns ícones que melhor possam representar a nossa cidade. Sendo estatutariamente uma associação apartidária e sem confissão religiosa, não nos podemos imiscuir das responsabilidades de quem pensa a cidade. Afinal, este é, também, um papel que queremos desempenhar na procura da melhor cidadania participativa.

Assim, é com extremo agrado que felicitamos a Juventude Socialista pelo seu interesse no futuro do Complexo Monumental das Sete Fontes e pela reunião que realizaram com o Sr. Vice Presidente e Vereador do Urbanismo da Câmara Municipal de Braga. É importante percebermos que há gente interessada em pensar a cidade, como nós advogamos.

É certo que o Complexo Monumental das Sete Fontes é hoje monumento nacional por força de outras forças que pugnaram para que isso acontecesse. É interessante saber que este assunto, apesar de muitos apontarem o abandono daquele sítio, é um tema recorrente e que interessa aos cidadãos de Braga. A JovemCoop mostra-se feliz porque, afinal, a Marcha de Sensibilização, promovida no dia 08 de Março, em co-organização com a ASPA e a Junta de Freguesia de S. Victor, cumpriu os objectivos a que se destinava. Sensibilizar e juntar mais pessoas à causa deste Sítio.
Todos juntos poderemos, com certeza, pensar um Parque Verde capaz de servir as necessidades dos cidadãos de Braga e, de uma vez por todas, recuperar aquele espaço e deixar cair o epíteto de “abandono”.

É óbvio que o Parque Verde das Sete Fontes deve ser pensado com os contributos dos cidadãos, por isso, aquilo que solicitaremos em sede própria (mas que deixamos já aqui registo) é que a vereação do urbanismo seja receptiva e sensível para acolher os contributos dos cidadãos. Como é óbvio, e porque cremos ter ficado omisso no comunicado da JS, é que o Parque Verde das Sete Fontes não pode ser pensado pelo que vemos lá actualmente. Ao abrigo da longa ocupação humana daquele espaço podemos, desde já, adivinhar que a zona das Sete Fontes será rica em água, em fauna, em flora e em património, quer arquitectónico, quer arqueológico. Por isso, e porque cremos que este projecto para as Sete Fontes não deve ser somente pensado em gabinete, aquilo que solicitamos é que a CMB apele à participação dos cidadãos para fazer chegar os seus contributos. Dar voz a quem conhece bem o terreno, dar expressão a quem tem contribuído para que as Sete Fontes ainda brotem água e que marquem uma paisagem, um tempo e várias Histórias.

Tal como a Junta de Freguesia de S. Victor tem solicitado, ao longo dos tempos, a colaboração de entidades e personalidades que gostam e conhecem a zona das Sete Fontes ( e também noutros assuntos igualmente importantes), apelamos ao Sr. Vice Presidente com a vereação do Urbanismo que aja em prática semelhante. Que chame quem pode dar contributos, que se reúna de propostas que entidades como a JovemCoop (e outras certamente) podem ajudar a enriquecer o Plano de Pormenor do Complexo Monumental. Após auscultadas as entidades ou particulares (porque a lei 107/2001 artº 10 alínea 5 assim o prevê), a CMB poderia gozar de um período de elaboração do projecto, após o qual seria então bom fazer uma sessão aberta aos cidadãos e apresentar o Plano de Pormenor e Parque Verde das Sete Fontes. Ainda que este espaço já esteja a ser transformado, mais vale fazê-lo tarde do que nunca o concretizar.

Contudo, o nosso apelo final é que as Sete Fontes não sejam vistas como objecto de arremesso partidário em ano de eleições, porque nitidamente fica este complexo e os cidadãos a perder. Queremos sim que este Complexo Monumental seja visto como um incremento social e turístico para a cidade, pois é um verdadeiro museu ao ar livre, e deve ser tratado com o respeito que a nossa memória colectiva merece. É uma questão de política de urbanismo, social, do ambiente, do património e não uma questão de politica partidária. Os nossos monumentos foram pensados à data para uma finalidade e agora compete-nos a nós dar-lhe um novo e oportuno objectivo devidamente enquadrado.


Se quiser saber mais sobre este sítio, pode fazê-lo enviando um e-mail para :

info@jovemcoop.com


----------------------------------------------------------------------------------------------------

Marcha Sensibilização SETE FONTES

08 de Março de 2009


Decorreu, no dia 08 de Março 2009, uma marcha com objectivo de sensibilizar os cidadãos bracarenses para o ambiente e para o património da zona das Sete Fontes.
A caminhada teve início no Largo da Srª-a-Branca com umas breves palavras do Dr. Miguel Bandeira, dirigente da ASPA, de Ricardo Pereira da Silva, na qualidade de Coordenador-Geral da JovemCoop e do Presidente da Junta de Freguesia de S. Victor, Dr. Firmino Marques. Após explicados os objectivos da Marcha e as referências às Sete Fontes, o percurso seguiu a Rua Sta Margarida, Largo Monte D’Arcos, Rua do Areal de Baixo, Rua do Areal de Cima, Rua Rafael Bordalo Pinheiro, Rua Bairro das Sete Fontes, terminando na Bica Pública das Sete Fontes.
Esta marcha realizada no DIA INTERNACIONAL DA MULHER, num magnífico dia de sol, contou com uma boa participação dos cidadãos e amigos, que não ficaram indiferentes às questões de protecção da água e do Monumento Nacional das SETE FONTES.
A JovemCoop defende, para aquela área, a implantação de um Parque Verde da Cidade, que possa servir como área de lazer a visitantes, área de atracção de turistas e, sobretudo, como área de descanso aos utentes do Novo Hospital de Braga.

Veja as fotos e envie-nos o seu comentário e/ou sugestão para:

info@jovemcoop.com





--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

A 13 de Maio de 2003 foi promulgada a classificação das Sete Fontes como Monumento Nacional. Passados 5 anos dessa classificação, notamos que o Sítio Monumental das Sete Fontes ainda se encontra abandonado pelas entidades que mais deveriam zelar por elas e numa constante ameaça de serem destruídas pela pressão urbanística. Uma vez que a C.M.B. anunciou a revisão do Plano Director Municipal é desejável que todos os cidadãos se manifestem a favor da protecção deste Sítio.



Se nos quiser dar a sua opinião sobre este Sítio Monumental, pode fazê-lo enviando um e-mail para :

info@jovemcoop.com